Potência | 2004

Ano: 2004
Última apresentação: 2013
Quantidade de apresentações: 2
Locais: Casa Hoffman, Museu Oscar Niemeyer, Curitiba Brazil
Duração: 2 a 3 horas 

Ano: 2004
Última apresentação: 2013
Quantidade de apresentações: 2
Locais: Casa Hoffman, Museu Oscar Niemeyer, Curitiba Brazil
Duração: 2 a 3 horas 

  • Descrição

  • Sobre a Performance

Em uma sala grande, vemos uma potência de som. Conectado à potência há um dispositivo. Saindo da potência, 400m de cabo de som, todos enrolados formando um grande emaranhado de cabos. Do outro lado da sala, há duas caixas grandes, com cabos de som saindo delas, mas fixos no chão. A potência de som está ligada, mas nada se ouve. Visto os cabos no meu corpo, tensiono-os em direção às caixas e vou desfazendo o bolo de cabos com a intenção de alcançar as caixas. Sempre conectados ao meu corpo, vou mudando a posição dos cabos, de modo que consiga desfazer os nós e avançar. A performance acaba quando consigo conectar os 400m de cabos aos cabos das caixas, transmitindo o som que sai na potência, por meio do dispositivo. 

Neste trabalho exploro a teleologia da ação, o objetivo de uma ação, o “em vista de”. Também foi a primeira vez que explorei uma ação linear e de longa duração. Foi minha primeira performance em que o tempo é alongado, mas ainda dependente fortemente do desenvolvimento da ação.

Social

 
 

Fernando Ribeiro

Fernando Ribeiro

Artista da performance e curador, vive e trabalha em Curitiba, Brasil. Ribeiro se destaca como um dos principais artistas da performance do Sul do país. Sua trajetória conta com mais de 17 anos dedicados a performance art, tendo participado de diversos eventos nacionais e internacionais. Também atua como curador de performance na p.ARTE e Bienal de Curitiba.